You are currently viewing Cuide de si

Cuide de si

Cuide de si

Sophie Calle, uma famosa escritora francesa, recebeu uma carta de rompimento do escritor Grégoire Bouillier em que ele pedia a ela: cuide de si.

Ela fez mais que isso, transformou a carta numa exposição em que deu voz a várias mulheres, na releitura dessa carta. Cada uma com sua própria vida, interpretação, reação e sentimento. E todas elas existiam dentro da própria Sophie. E existem dentro de cada um de nós, homens ou mulheres.

Mas o que me levou a escrever sobre Sophie e sua carta foi o título dessa exposição:

CUIDE DE VOCÊ.

Me fez pensar em como dentro de um relacionamento fica fácil, num primeiro momento, nos perdermos de nós mesmos. Como nos distanciamos de nós para viver o outro, para o outro e pelo outro. E assim achamos isso normal, prova de amor, altruísmo. Mas, sem saber que o caminho de volta pode ser difícil ou não acontecer.

Não é normal ou prova de amor! O outro se apaixonou por você como é, e não por alguém que se moldou à ele. E pior, sem que ele pedisse… E você? Se reconhece ao se olhar no espelho? Quando foi a última vez que fez algo por você, só para você? Sem culpa… acredite isso não é egoísmo, é cuidado.

Para amar alguém é preciso que você saiba quem é, o que quer e o que gosta.

Do contrário, você vira um fantasma sem sonhos ou objetivos. Um coadjuvante da própria vida e dependente da vida do outro, que se agarra aos sonhos do outro na tentativa de se reconhecer de alguma forma. É pesado demais para você e para o outro e quem sangra é o relacionamento, que precisa de cuidados constantes e pessoas saudáveis e conscientes de quem são para que ele cresça e floresça.

O relacionamento é o reflexo de vocês, é formado por EU (meus sonhos, história, objetivos) + VOCÊ (seus sonhos, história, objetivos) que é igual a NÓS. Se nessa equação, algo estiver errado, o resultado será errado.

Relacionamento é soma e multiplicação. Portanto, se faltar número pra somar ou multiplicar ele não existe. Se um número só subtrai ou divide, ele acaba.

Então não espere um rompimento para cuidar de si. Comece hoje, agora !

Seja a soma e a multiplicação dos seus sonhos, do que você tem de melhor, e seu relacionamento também será.

Portanto, olhe para você, revisite seu coração, ouça sua alma que grita.

Cuide de si !

E, se tiver curiosidade de ler a carta, ela está aqui:

Sophie,

Há algum tempo venho querendo lhe escrever e responder ao seu último e-mail. Ao mesmo tempo, me pareceria melhor conversar com você e dizer o que tenho a dizer de viva voz. Mas pelo menos será por escrito. Como você pôde ver, não tenho estado bem ultimamente. É como se não me reconhecesse na minha própria existência. Uma espécie de angústia terrível, contra a qual não posso fazer grande coisa, senão seguir adiante para tentar superá-la, como sempre fiz. Quando nos conhecemos, você impôs uma condição: não ser a “quarta”.

Eu mantive o meu compromisso: há meses deixei de ver as “outras”, não achando obviamente um meio de vê-las, sem fazer de você uma delas. Achei que isso bastasse e que amar você e o seu amor seriam suficientes para que a angústia que me faz sempre querer buscar outros horizontes e me impede de ser tranquilo e, sem dúvida, de ser simplesmente feliz e “generoso”, se aquietasse com o seu contato e na certeza de que o amor que você tem por mim foi o mais benéfico para mim, o mais benéfico que jamais tive, você sabe disso.

Achei que a escrita seria um remédio, que meu “desassossego” se dissolveria nela para encontrar você. Mas não. Estou pior ainda; não tenho condições sequer de lhe explicar o estado em que me encontro. Então, esta semana, comecei a procurar as “outras”. E sei bem o que isso significa para mim e em que tipo de ciclo estou entrando. Jamais menti para você e não é agora que vou começar. Houve uma outra regra que você impôs no início de nossa história: no dia em que deixássemos de ser amantes, seria inconcebível para você me ver novamente. Você sabe que essa imposição me parece desastrosa, injusta (já que você ainda vê B., R.,) e compreensível (obviamente…); com isso, jamais poderia me tornar seu amigo.

Mas hoje, você pode avaliar a importância da minha decisão, uma vez que estou disposto a me curvar diante da sua vontade, pois deixar de ver você e de falar com você, de apreender o seu olhar sobre as coisas e os seres e a doçura com a qual você me trata são coisas das quais sentirei uma saudade infinita. Aconteça o que acontecer, saiba que nunca deixarei de amar você da maneira que sempre amei desde que nos conhecemos, e esse amor se estenderá em mim e, tenho certeza, jamais morrerá.

Mas hoje, seria a pior das farsas manter uma situação que você sabe tão bem quanto eu ter se tornado irremediável, mesmo com todo o amor que sentimos um pelo outro. E é justamente esse amor que me obriga a ser honesto com você mais uma vez, como última prova do que houve entre nós e que permanecerá único. Gostaria que as coisas tivessem tomado um rumo diferente. Cuide de você.