You are currently viewing Brinquedos eróticos: do tabu ao crescimento na pandemia

Brinquedos eróticos: do tabu ao crescimento na pandemia

Como os brinquedos eróticos podem beneficiar a sua relação

Talvez você nem saiba, mas o que hoje chamamos de brinquedos eróticos, foi criado para ser um instrumento médico para auxiliar no tratamento de  dores de cabeça e dores crônicas para os homens. 

Hoje em dia, o objeto que ajudava os médicos se tornou um dos brinquedos eróticos mais queridos de um dos segmentos que mais cresceu no cenário da pandemia, o vibrador.  

De instrumento médico a tabu

Tudo começou em 1883 quando o médico inglês, Joseph Mortimer Granville, inventou um vibrador elétrico com o intuito de ser um circulador de sangue que poderia parar a dor rapidamente e ajudar os sofredores crônicos, mas claro, sabendo que o instrumento poderia ser utilizado para fins sexuais. 

Dali em diante o vibrador começou a ser comercializado como um eletrodoméstico que poderia curar tudo, de rugas até a malária, para homens e mulheres de todas as idades. 

Só tinha um porém: nessa época falar da sexualidade dos homens era socialmente mais aceita, agora o das mulheres nem sequer era discutida, por isso os vibradores eram anunciados apenas como a cura para a impotência masculina e mesmo assim os acessórios eram anunciados como tratamento para queixas uterinas e constipação. 

A sua imagem de inocente eletrodoméstico para algo absurdamente vulgar aconteceu quando os vibradores passaram a ser encontrados nos filmes pornôs na década de 1920, daí se tornaram verdadeiros tabus da sociedade que não se discutia sobre sexualidade uma vez que eles se tornariam oficialmente brinquedos eróticos.

Libertação sexual 

Demorou anos, leis para proibir a comercialização dos vibradores, mas finalmente nos anos 1980 a temas como o prazer feminino passaram a ser colocados em pauta, já que o prazer masculino já estava bem resolvido nessa época – pelo menos era o que se acreditava. 

Para contornar as leis de obscenidade no Japão (onde os vibradores eram fabricados), criaram brinquedos eróticos em cores brilhantes e formas de animais. O mais famoso deles era o Rabbit que você provavelmente já deve ter ouvido falar.

Agora, você sabia que a fama desse brinquedo erótico aconteceu em parte por conta de uma aparição na série “Sex and the City”, em 1993, quando a personagem Charlotte se vicia em um vibrador desses? A série com certeza foi um marco ao explorar esse e outros temas do universo feminino. 

Por falar em universo feminino…e os homens?

Falar sobre brinquedos eróticos no universo feminino é dizer sobre a importância da quebra de tabus e descoberta da sexualidade, enquanto para os homens é falar sobre um outro tipo de rompimento de preconceitos, já que muitos enxergam os brinquedos eróticos como desnecessários ou que podem despertar uma homossexualidade simplesmente por experimentarem prazer na região anal. 

O que ninguém esperava é que a pandemia mudaria esse cenário sexual tão estruturado. Por mais que os homens ainda não sejam os grandes usuários dos brinquedos sexuais, foi no auge do isolamento que se tornaram mais dispostos a usá-los e deixar alguns tabus de lado. 

Entre os motivos estão: aumentar o desempenho sexual, aprender mais sobre o que gostam ou não, quebrar preconceitos e estar abertos para novas sensações, além de acreditarem que podem atingir o orgasmo mais rapidamente com a ajuda dos brinquedos

O mercado que mais cresce 

Por falar em pandemia, o isolamento fez com que o mercado erótico movimentasse US$ 33 bilhões no mundo todo só no ano passado, foram 1 milhão de vibradores vendidos. Isso mostra que as pessoas estão olhando para a sexualidade de uma outra maneira, mais aberta e deixando os preconceitos de lado. 

E contam com a facilidade de ter a internet ao seu lado, que torna o acesso aos brinquedos eróticos ainda mais fácil. Então se você ou seu parceiro tem questões em ir até uma sex shop podem comprar em lojas online e receber sua encomenda de forma sutil em casa.

Brinquedos eróticos em casal, prazer em dobro 

Mais do que se descobrir e conhecer seus próprios corpos, os brinquedos eróticos permitem que você possa ter um momento prazeroso de total entrega a dois. Aproveite que a escolha dos brinquedos são as preliminares do sexo.

Agora, se for o primeiro contato do casal com o assunto, nada como um momento íntimo para introduzir o assunto. Fale sobre as suas necessidades e ouça as de seu parceiro(a), falem sobre o que desejam experimentar juntos. A lista de benefícios para a vida a dois é realmente muito boa:

  • Melhorar a cumplicidade do casal.
  • Libertar algumas fantasias do casal;
  • Aumentar a libido;
  • Permitir orgasmos;

Importante lembrar que por mais pontos positivos, os brinquedos eróticos não podem salvar relacionamentos desgastados, apenas fortalecer os que já estão solidificados. Por isso o diálogo sempre salva. 

Agora que você sabe um pouco mais sobre a história e como os brinquedos eróticos estão cada vez mais em alta, que tal convidar o seu amor para experimentarem novas sensações a dois? 

Nível de Leiturabilidade: Pessoas com nível de ensino médio conseguem ler esse texto. 

Links de pesquisa:

  1. https://www.metropoles.com/colunas/pouca-vergonha/estudo-aponta-que-homens-experimentaram-mais-brinquedos-sexuais-na-pandemia
  1. https://helloclue.com/pt/artigos/cultura/uma-breve-historia-do-vibrador
  1. https://www.consumidorglobal.com/pt/noticias/servicos/quem-usa-mais-os-brinquedos-sexuais_1415_102.html
  1. https://monitormercantil.com.br/mercado-erotico-deve-encerrar-ano-com-faturamento-de-us-33-bi/
  1. https://gq.globo.com/Prazeres/noticia/2020/10/homens-e-brinquedos-sexuais-chegou-hora-de-derrubar-o-tabu.html
  1. https://claudia.abril.com.br/sua-vida/5-tabus-sexuais-que-podem-atrapalhar-o-orgasmo/
  1. https://www.telasporelas.com/post/tabur%C3%B3loga-sex-shop-e-brinquedinhos-sexuais
  1. https://euunica.com.br/produtos-eroticos-para-casais-guia-completo/