Como tocar uma mulher

  • por
Homem tocando mulher de lingerie

Como tocar uma mulher. Essa é uma pergunta que recebo com frequência. E a minha resposta é: não existe uma fórmula exata em que o resultado seja sempre o mesmo. Seres humanos são diferentes, e com uma atividade hormonal intensa, como no caso das mulheres, essas diferenças ficam maiores.

Entendendo as diferenças.

O primeiro passo é entender que somos todos diferentes e não adianta usar aquilo que funcionou com sua última parceira achando que a atual também pode gostar. Ela pode, mas ela também pode detestar. Você também não pode achar que ela gosta dos mesmos toques que você gosta, ela pode e também pode odiar. Então esteja preparado.
Outro ponto importante é que mulheres são muito afetadas pelas mudanças hormonais que acontecem no corpo. Então, hoje a mulher pode gostar do toque de um jeito a amanhã de outro. E aqui vai o conselho para resolver a questão: pergunte. Deixe-a a vontade para se expressar e dizer como ela quer ser tocada naquele momento.

A regra de ouro

Comece tocando a parceira devagar e em pontos já consagrados: pescoço, seios, virilha, parte interna dos braços e pernas, mãos e pés, articulações. Toque sempre com suavidade e pressão média. Se a mulher gostar de um pouco mais de força, fique tranquilo, se você seguiu o conselho anterior, ela vai te pedir. Mas por favor, não confunda força com “ter pegada”.

Então, o que é ter pegada?

Ter pegada é saber onde e como tocar uma mulher sem que ela peça. É fazer uma leitura exata do corpo dela e traduzir isso em toque, beijos e carícias com mais ou menos intensidade, dependendo do que o corpo dela pede naquele momento. Te ensino tudo isso nos meus cursos presenciais ou online, dá uma olhadinha depois de ler o post.
Então ter pegada é saber como interpretar e corresponder aos desejos de uma mulher. Definitivamente NÃO é apertar, morder, puxar, bater… A menos que a parceira em questão goste, e nesse caso voltamos ao conselho anterior, deixe-a falar.

E o que a maioria das mulheres não gosta?

Vamos falar então sobre o que a maioria das mulheres não gosta, e vamos deixar claro que são dados estatísticos e que a maioria não quer dizer todas. Logo, se você conhece alguém que gosta desses toques, tudo bem. Mas saiba que ela é minoria.
Para facilitar vamos começar de cima para baixo.

Cabelos

Uma pesquisa britânica, encomendada pela TONI&GUY revelou que as mulheres gastam em média R$147.000,00 com cabelos entre 18 e 50 anos. O IBGE afirma que o brasileiro gasta mais com beleza (cabeleireiro, manicure e produtos) do que gasta com alimentação. Por isso, a maioria das mulheres não gosta que toquem seus cabelos (para não desarrumar, engordurar, fragilizar, etc.), puxar então, nem pensar!!! Principalmente se ela for loira, porque cabelos claros são mais frágeis. É você puxar e o tesão todo se esvair pensando se o cabelo caiu ou não. Então, espere que ela te diga se gosta ou não que puxem seus cabelos. Agora, depois do sexo, elas gostam de um cafuné. Ainda assim, fique no entorno dos cabelos e no couro cabeludo, toques suaves e delicados.

Orelhas

Esse é um ponto super. sensível, que deve ser muito explorado! Mas ATENÇÃO: com sopros, respiração, gemidos, lábios contornado a orelha… JAMAIS como um escovão de lava rápido desenfreado babando e tentando alcançar o tímpano da parceira. Isso é unanimidade, nenhuma mulher gosta de gente babando dentro da sua orelha, e ao invés de aumentar o desejo ela fica pensando em como limpar a orelha depois.

Pescoço

Ponto forte e fácil de agradar. Supersensível, toques leves, sopros e até leves mordidinhas podem trazer sensações incríveis. Mas ESQUEÇA da força e aqueles terríveis chupões que a deixam marcada como gado. As mulheres odeiam!

Seios

Esses merecem MUITO CUIDADO E ATENÇÃO!
Seios não são almofadas para serem “afofados”. Seios não são massa de pão para serem amassados. Os mamilos não são parafusos para serem “desrosqueados”, não são bolinhas para serem apertados, não são mamadeiras para serem chupados. E acredite, a menos que a mulher tenha tendências BDSM, o tesão dela vai embora no primeiro apertão. E ela fica pensando: o que ele está tentando fazer?
Seios devem ser acariciados com cuidado. Use toques precisos e ininterruptos com a ponta dos dedos ou a palma das mãos. Se for usar a boca, use apenas os lábios, nunca os dentes. E sugue a pele com delicadeza. O sutil excita essa região.

Abdômen e costas

Aqui a liberdade é maior, você pode colocar um pouco mais de pressão no toque, experimentar outras velocidades. Mas comece sempre devagar e vá aumentando conforme as reações ou falta de reação da sua parceira.

Virilha e genital

A região que muitos consideram a mais importante. Ela é sim muito importante, mas não é a mais importante. Apenas a mais explorada ao longo da nossa vida. Mulheres querem te dizer: esqueça os filmes pornôs. Ou melhor, não esqueça, e faça tudo ao contrário do que eles mostram. Não puxe, não use os dentes, não tenha nojinho.
Quer saber como tocar bem essa região? Toque com delicadeza, e se for usar a boca, pense num beijo.
Eu tenho dois cursos bem legais que te ensinam mais: Prática oral em mulher e Prática oral em mulher-o que não fazer.

Bumbum

Toques suaves e contínuos aqui fazem milagres e provocam arrepios intensos. Beijinhos e língua também são bem vindos. Mordidas nem pensar ! E os famosos tapinhas ? Pergunte, ou espere que ela peça. Existem mulheres que curtem, as que não ligam e as que odeiam. Para não correr o risco de acabar com a transa, não saia batendo sem saber.

Pernas

Região pouco explorada, porque a maioria chega no genital e pára. A parte interna da coxa, articulações e tornozelos trazem sensações incríveis. Abuse dos toques, sinta a reação da sua parceira para saber se devem ser leves ou mais fortes. Mas cuidado, nada de apertar.

Pés

Muita gente já conhece o poder dos pés. Mas muitas mulheres tem verdadeiro pavor de serem tocadas nos pés. Então, aqui, a recomendação é começar o toque com a palma das mãos e apertar suavemente, relaxando a parceira para todos os toques que virão. Se sua parceira gosta, aproveite. Mas cuidado com a boca, NÃO use os dentes.

Lembre-se que o diálogo será o melhor amigo de vocês. Falem um para o outro o que gostam, e descubram juntos partes do corpo que nunca foram tocadas. O maior órgão sexual do corpo é a pele. Aproveitem!