You are currently viewing Ejaculação retardada

Ejaculação retardada

A ejaculação retardada ocorre quando o homem tem desejo e ereção, mas demora muito para ejacular durante a relação sexual. Muitas vezes, ele nem não, um problema chamado de anejaculação. Mas, em geral, na masturbação a ejaculação e o orgasmo ocorrem normalmente.
Médicos e pesquisadores dizem que o tempo médio para que a ejaculação aconteça é em torno de cinco minutos. Entretanto, é possível controlar e prolongar conscientemente esse tempo. E ele varia para cada um, mas o homem com essa disfunção, não consegue controlar o período. Portanto, considera-se ejaculação retardada quando o homem precisa de mais de 30 minutos para atingir o orgasmo e a ejaculação.

A disfunção pode ser classificada em duas formas:

• Primária/Permanente: é quando ela está presente em toda a vida do homem;
• Secundária/Transitória: quando, a partir de alguma situação ou idade, o homem começa apresentar sintomas da ejaculação retardada.
O diagnóstico dessa disfunção é confirmado por um médico, quando os sintomas persistem por mais ou menos seis meses. Apesar de não haver ejaculação, o homem consegue manter a ereção por mais tempo, prolongando a atividade sexual, o que pode provocar dores, tanto na mulher quanto no homem, pela perda da lubrificação natural, além de se tornar exaustivo e frustrante para ambos causando desgaste no relacionamento, ansiedade e depressão. Além disso, também causa um impacto na autoestima e na autoconfiança masculina.

Causas psicológicas.

Muitas vezes, a demora na ejaculação é causada por fatores psicológicos. Problemas, estresse ou medo são capazes de interferir no organismo e prejudicar o orgasmo. Mas, as principais causas são:

  • Ansiedade (causa comum em todas as disfunções sexuais);
  • Culpa por motivos religiosos;
  • Medo de não agradar;
  • TOC;
  • Masturbação excessiva;
  • Preferência por masturbação;
  • Traumas mal resolvidos;
  • Estresse e nervosismo;
  • Medo de engravidar e de ISTs;
  • Dificuldade de se concentrar;
  • Tensão durante o sexo;
  • Problemas com o relacionamento;
  • Vício em pornografia.

Mas masturbação não faz bem?

Sim, faz muito bem, mas nada em excesso faz bem. Muitos homens acabam criando com a masturbação um padrão que endurece suas sensações. Mas este comportamento pode estar muito ligado ao nervosismo e à ansiedade da relação sexual, da pressão para ter um bom desempenho ou do fato de ter que chegar ao orgasmo junto com outra pessoa.

E o mesmo padrão acontece com a pornografia, que oferece um prazer mais rápido e fácil.
Além disso, em algumas situações o homem que ainda não teve muita experiência sexual, e está acostumado a se masturbar faz uma pressão excessiva com a mão. Mas, na hora da relação sexual, a pressão da penetração vaginal sobre o pênis é menor do que com as mãos, e isso dificulta o estímulo padronizado no homem para chegar ao orgasmo e ejacular.

Causas orgânicas

A ejaculação retardada também pode ser causada por:

  • Uso exagerado e abusivo de álcool e drogas;
  • Diabetes e esclerose múltipla;
  • Problemas e alterações hormonais, como de testosterona;
  • Lesões neuronais;
  • Doenças na próstata, como prostatismo, tumores e hiperplasia benigna;
  • Obstrução das vias por onde passa o sêmen;
  • Cirurgias pélvicas, abdominais ou neurais;
  • Lesão na medula;
  • Uso de antidepressivos e outros medicamentos específicos;
  • Problemas decorrentes do envelhecimento.

Consequências

Apesar de não oferecer risco direto à saúde, a ejaculação retardada pode ter consequências desagradáveis sobre ela, como:

  • Diminuição da libido e do prazer sexual;
  • Problemas no relacionamento ou dificuldade de se relacionar com alguém;
  • Depressão;
  • Infertilidade masculina;
  • Estresse e ansiedade;
  • Anorgasmia crônica.

Tratamento

Com o diagnóstico, o médico indicará um tratamento específico, com ou sem medicamentos.
Possíveis tratamentos:

Portanto, todas as alternativas podem ser usadas pelo médico separadas ou juntas, depende do caso. E todas com resultados excelentes para a solução da disfunção.

Exercícios que podem te ajudar:

  1. Masturbe-se de formas diferentes, use a outra mão e diminua a pressão e a velocidade. Você pode usar masturbadores e géis vendidos em sexshop.
  2. Toque a região genital com movimentos suaves e delicados.
  3. Para os viciados em pornografia, assistam em posições desconfortáveis, que te obriguem a prestar atenção no corpo e desligar o piloto automático.
  4. No banho, alterne água quente (sem queimar) e fria na região genital. Por dois minutos em cada temperatura para ir sensibilizando a região.
  5. Com a pessoa amada, pratique o coito intercalado, e com isso vá aumentando sua excitação gradativamente.

E procure ajuda sempre ! Deixar de procurar o médico por vergonha só agrava o problema.