Você conhece as cinco linguagens do amor?

  • por
Casal de mãos dadas se olhando

Você conhece as 5 linguagens do amor ? Gary Chapman é um pastor, antropólogo e escritor americano  que desenvolveu uma teoria sobre as linguagens do amor.

Chamado de DR. Casamento, ele desenvolveu essa teoria, baseado nos anos de aconselhamento amoroso; em suas palavras: “Eu tenho feito aconselhamento matrimonial por cerca de 15 anos e percebi que o que faz uma pessoa sentir-se amado, não faz outra pessoa sentir-se amado. Eu me sentava no meu escritório e uma delas dizia “eu sinto que ele não me ama”, e ele (a outra pessoa) diria: “Eu não sei mais o que fazer. Eu faço tudo o que eu deveria fazer. ” Então eu sabia que havia um padrão, mas eu não sabia qual era o padrão. Então o que eu fiz  foi sentar e passar por 12 anos de anotações  minhas aconselhando as pessoas, e sempre me perguntando “Quando alguém disse – Eu sinto que minha esposa não me ama, o que ele quer? Do que eles estão reclamando? ” E suas respostas caíram em cinco categorias. Que mais tarde chamei de “cinco linguagens do amor”.

Estudos de Chapman

Os estudos de Chapman reforçam aquilo que já sabemos, somos únicos e por isso, percebemos o mundo de forma diferente dos outros. Mas, o mais incrível dessa teoria é que ela nos ensina a conhecer a nossa linguagem e também a da pessoa que amamos. Ele deixou tudo de forma bem clara e facilitou a nossa comunicação sobre o amor. Claro que se eu sou brasileira e me apaixono por um alemão, e nenhum de nós fala a língua do outro, fica muito mais difícil o entendimento dentro da relação, mas quando um de nós aprende a língua do outro, nosso relacionamento alcança um outro nível de interação. E essa é a proposta das cinco linguagens do amor, entender como cada um de nós demonstra e se sente amado.

“Aquele que escolhe amar vai encontrar os meios apropriados para expressar essa decisão todos os dias”, diz Gary Chapman.

É por isso que compreender a sua linguagem de amor e a linguagem de amor da pessoa que você ama é fundamental para que vocês comuniquem seu sentimento de uma forma compreensível.

Quais são as cinco linguagens do amor?

Palavras de afirmação: é o primeiro tipo de linguagem, são elogios como “Você está incrível”, afirmações como “Obrigado por estar comigo” e incentivos como “Vai dar tudo certo”. Existem pessoas que utilizam este tipo de linguagem para expressar o seu amor por alguém e aqueles que se sentem altamente valorizados quando escutam afirmações como estas e muitas outras.

Segundo Chapman algumas pessoas só sentem o amor do outro realmente quando ele vem acompanhado de palavras, e quando isso não acontece a pessoa se sente desvalorizada na relação. Então observe seu par e  sempre que possível, use palavras que reforcem seu sentimento e admiração e fique atento à reação do seu amor.

Qualidade de tempo: nossa segunda linguagem, refere-se  à dedicação do tempo à pessoa amada. Para algumas pessoas, ser o centro das atenções do parceiro mesmo que por um pequeno período são a maior declaração de amor. Então, nesse tempo foque em vocês, nada de celular ou outra distração. O que conta é o que podem fazer juntos: conversar, assistir filmes de interesse mútuo.

Ter presença e ouvir o que a pessoa tem a dizer sobre seu dia ou o que mais gosta sempre olhando nos olhos e demonstrando seu interesse. Mais uma vez, observe as reações do seu amor ao dedicar um tempo só para vocês, e perceba se ele não vai parecer uma criança na noite de Natal.

Presentes: Não confunda essa linguagem com o de pessoas interesseiras! Aqui o que menos importa é o valor financeiro, pois o amor pode ser expressado por meio de uma flor, uma pizza ou papel de bala. O importante aqui é a representação, porque a pessoa se sente imensamente grata, feliz e realizada quando entende e percebe a importância e o significado que tem em sua vida, já que você pensou nela em algum momento do seu dia para ou preparou algo para ela.

Chapman diz que, quando a pessoa que possui essa linguagem de amor segura em mãos um presente, ela sente uma expressão palpável do afeto da outra.

É algo que ela pode olhar e dizer “uau, X realmente lembrou de mim!”.

O presente, por si só, é um símbolo desse pensamento afetivo.

Ele é uma forma visual do amor.

Gestos de serviço: Tampouco aqui a pessoa quer um servo. A dedicação ao que você faz conta mais do que qualquer palavra. Ajudar a pessoa em tarefas rotineiras como: lavar a louça, consertar a fechadura, levar o lixo para fora, levar o carro para lavar, sãoa melhor declaração de amor para algumas pessoas e mostram à ela  o quão importante ela é para você.

Para quem se sente amado pela linguagem de serviço, ter de pedir ajuda sempre nas tarefas é um processo penoso. É quando a pessoa passa a exigir auxílio, causando um bloqueio no fluxo do amor – especialmente quando o outro não compreende tal forma de comunicação de afeto.

Toque físico: o autor relembra que o toque é um dos cinco sentidos humanos e que, através dele, são ativados inúmeros receptores que provocam reações em todo o corpo. Beijos, abraços, cutucões com o cotovelo, mão no ombros, as relações sexuais, toque suaves pelo corpo, mãos dadas, são os representantes dessa linguagem.

E, para quem possui o toque físico como linguagem de amor, o contato desempenha um papel importantíssimo. Um simples carinho é a mais perfeita tradução de um “amo você”.

Por isso, fazem questão de receberem carinho, por meio do toque, para que assim sintam-se também mais seguras.

Mas vale o lembrete: é importante saber se o outro também deseja receber amor dessa maneira, caso contrário, corre-se o risco de invadir o espaço da pessoa e dela acabar não gostando.

E como posso descobrir qual a linguagem do meu parceiro?

Chapman nos ajuda a entender como o nosso par demonstra qual das cinco linguagens do amor é a sua.

Ele indica que as críticas feitas pela parceira ou pelo parceiro são os principais indicativos de sua linguagem de amor.

Isso porque as pessoas tendem a criticar ou apontar os defeitos de seu cônjuge com forte intensidade justamente naquelas áreas em que elas próprias possuem uma maior carência emocional.

Outra forma é perceber como a pessoa demonstra amor. Porque, normalmente, fazemos ao outro o que gostaríamos que fizessem com a gente. Então, se seu amor, sempre tem um mimo pra você, é um indicativo de que ele entende esse gesto como demonstração do sentimento.

E o que fazer quando eu e meu amor temos linguagens diferentes?

Seria muito bom ou muito chato se todos nós falássemos a mesma linguagem. Mas isso nem sempre acontece. E como devemos agir nesses casos? Fazendo escolhas e adaptando as nossas formas de expressar esse amor.

É importante sempre, não ultrapassar limites. Por exemplo: se a linguagem do seu amor é a de serviços e você faz tudo pra ele para demonstrar seu amor. Essa não é a sua linguagem e desempenhar um “papel” por muito tempo cansa e acaba gerando outro tipo de conflito. Por isso é importante o diálogo e o equilíbrio.

Você pode usar as cinco linguagens do amor sozinho?

Sim!!! Antes de amarmos alguém é importante aprendermos o amor por nós mesmos. Amor próprio é o princípio de qualquer relacionamento.

E você pode aplicar cada uma das linguagens para se conhecer melhor e também entender qual a sua linguagem predominante nas relações afetivas.

Então comece agora! Fale em frente ao espelho o quanto você é legal e ao deitar que atitude você teve e  gostou no seu dia.

Dê-se um presente, de vez em quando, que te lembre do quão especial  você é.

Faça tarefas que vai empurrando para depois, mas que vão deixar seu lar oe seu ambiente de trabalho mais aconchegantes.

Dedique um tempo para si, leia, passeie, ria sozinho. Aproveite sua própria companhia.

E por, fim toque-se. Explore seus sentidos, experimente novas sensações (a massagem tântrica é uma excelente opção). Quando a gente sabe quem é e o que quer, nossa relação com a pessoa amada também cresce e vocês ganham muito!